Fortaleza de Santo Antônio de Ratones

Como chegar?

Ilha de Ratones Grande, Baía Norte 

A Fortaleza de Santo Antônio de Ratones foi construída em 1744, depois de quatro anos em obras. Em forma de L, tem todos os edifícios principais em um único plano, diante da muralha voltada para a Baía Norte. Formava parte do sistema defensivo da Ilha projetado pelo Brigadeiro da Silva Paes.

No século 19, funcionou como enfermaria para doentes de cólera e hanseníase. Durante as escavações arqueológicas para a restauração, foram descobertos diversos esqueletos no local, provavelmente do cemitério feito no período em que as instalações tiveram essa finalidade.

A fortaleza divide o espaço da Ilha de Ratones Grande com a natureza exuberante. Uma trilha leva para o interior da Ilha, mas nem todos os passeios que levam até lá permitem que o visitante a percorra, devido ao tempo limitado de permanência. Consulte antes a empresa responsável.

A edificação começou a ser restaurada em 1982, de forma voluntária, quando professores e estudantes da UFSC, empresários, militares, pescadores e interessados fizeram a limpeza da vegetação e do entorno das ruínas.

A ação foi o embrião do Projeto Fortalezas da Ilha, iniciado na década de 1990, que recuperou também os fortes de Anhatomirim e São José da Ponta Grossa, hoje administrados pela universidade.

A fortaleza esta localizada na Ilha de Ratones Grande, na Baía Norte. Esta fortaleza configurava como o terceiro vértice do triângulo de fogo idealizado pelo Brigadeiro Silva Paes. Teve o início de sua construção em 1740 e foi concluída em quatro anos.

Seus principais edifícios estão implantados em uma linha de um único terraplano, guarnecidos pela encosta e voltados para o mar. As edificações mais significativas são a Portada, a Fonte D’Água e o Aqueduto. Além de seu expressivo acervo arquitetônico, a Ilha de Ratones Grande apresenta uma paisagem natural exuberante, formada por Floresta Atlântica. Possui uma trilha destinada à prática do turismo ecológico e educação ambiental, permitindo a integração dos visitantes aos ambientes marinhos e de Floresta Atlântica e à fauna associada a este ambiente.

Curiosidade

O nome Ratones foi dado pelo conquistador espanhol Alvar Nuñez Cabeza de Vaca (1492-1558), que governou Santa Catarina durante o domínio espanhol. Ele desembarcou na Ilha em 1541 com planos de refazer o caminho do Peabiru descoberto por Aleixo Garcia. Para Cabeza de Vaca, o formato das ilhas na Baía Norte lembrava dois ratos grandes, daí o nome em espanhol preservado até hoje.




Galeria de Imagens


Serviços e Infraestrutura


Acessibilidade