Como chegar?

Partindo da região central da Ilha, siga pela SC-401. Vire à direita no trevo de Ingleses (SC-403) e continue reto até a praia. O Santinho fica à direita. Siga a sinalização.

As ondas bem formadas são destino obrigatório para quem se dedica ao surf. Além do mar exuberante, na Praia do Santinho são encontradas outras opções de lazer. Passear ou praticar sandboard nas dunas – quando o sol não estiver muito forte – são incríveis experiências de contato com essa imensidão de areia. 

A praia tem 2,2 km de extensão, e oferece atrativos muito intrigantes. Os costões de pedra que delimitam a praia guardam mistéiros de mais de 4 mil anos. No canto direito, existe uma passarela de madeira que atravessa as pedras, onde há inscrições rupestres pré-históricas. 

Identificadas por placas explicativas, formam um museu arqueológico a céu aberto, mantido pelo Costão do Santinho, eleito como o melhor resort de praia do Brasil pela revista Viagem & Turismo por seis vezes seguidas. 

Por ali, também há oficinas líticas, mas não tão bem identificadas. São relevos bem marcados nas rochas, em formato circular, e com poucos centímetros de profundidade. Os antigos usavam essas rochas para confecção e afiação de instrumentos, pontas de lanças, machados e pesos para redes de pesca.

Durante o inverno, o Santinho vale a visita para observar e participar do cotidiano dos pescadores e da comunidade local, que nesta época dedicam-se à pesca da tainha.

 

Curiosidade

O nome Santinho se deve a uma gravura rupestre encontrada no costão que era muito semelhante à imagem de um homem com uma auréola estilizada. Os nativos da Ilha frequentavam o local para rezar e pedir proteção às embarcações na pesca. Em 1948, a pedra foi removida do local pelo padre e arqueólogo João Alfredo Rohr e hoje seu paradeiro é desconhecido.



Galeria de Imagens


Serviços e Infraestrutura


Acessibilidade